Palavra Proscrita

Submitted by gfraenkel on Fri, 13/07/2018 - 14:01
Palavra Proscrita (13/07/2018) Jamais declara firmeza temporária. Fruto de saboroso desconhecer; Sobrinha de intransigência contraditória; É negar até quase morrer... À vida sempre surpreendente... (Guilherme Fraenkel) foto de Michael & Christa Richert em freeimages.com

Cântico negro - José Régio

Submitted by gfraenkel on Wed, 04/07/2018 - 08:39
José Régio*, o poeta do silêncio e do amor, das relações humanas, da inquietação, do inconformismo e do desapego. É nesta relação com o mundo, a exemplo de Régio, que nos faz ser cada vez mais fortes naquilo que nos torna indivíduos únicos. Cântico negro “Vem por aqui” — dizem-me alguns com olhos doces, Estendendo-me os braços, e seguros De que seria bom que eu os ouvisse Quando me dizem: “vem por aqui”! Eu olho-os com olhos lassos, (Há, nos olhos meus, ironias e cansaços) E cruzo os braços, E nunca vou por ali…

teus erros

Submitted by gfraenkel on Tue, 03/07/2018 - 08:42
teus erros (03/07/2013) tuas cicatrizes, como profundas raízes indiciam variados matizes da vida. felizes ou infelizes em suas origens, simbolizam diretrizes que buscam o alimento certo, mesmo no tempo incerto. assassinos sais alcalinos redimem-se com o frescor da água e o calor do sol. nesta combustão inversa, venenoso gás dá lugar à explosão da vida e a contrapartida se refaz. fugaz como a ave de rapina, campeia pela relva vespertina e colima este momento em festa. o que te resta ainda presta para revolver o solo árido convertendo-o em berçário da vida. amplia tuas rudes cicatrizes e nutre a vida ávida por alimento. fomenta com tua própria seiva a relva que te cerca e verás que és muito mais que maldição. és benção que alivia o coração ao cultivar a emoção. (guilherme fraenkel)

Estrelas sem pontas?

Submitted by gfraenkel on Fri, 29/06/2018 - 09:46
Estrelas sem pontas? (29/06/2018) Quando criança eu desenhava estrelas de cinco pontas no céu e ficava me perguntando o que teria acontecido com as pontas das que me serviam de inspiração. Acho que nas raras noites ... (Guilherme Fraenkel) ilustração "Christmas snowflakes and stars" Designed by Freepik

quero ser vento

Submitted by gfraenkel on Tue, 26/06/2018 - 08:19
quero ser vento (25/06/2018) Quero ser o vento. Movimento de mim mesmo, motor dos cata ventos! Frescor das tardes quentes de verão; terror das piores noites de tempestade! Açoite da vela que pende frouxamente. Uivante criatura que anuncia mudanças... Invejo o flexível seguir que marca jornadas. Impiedoso ímpeto guerreiro! Se atira contra as paredes de pedra da vida e sempre vence... quero seguir livre! bailar com as copas das árvores, incendiar florestas inteiras, desenhar com as nuvens preguiçosas. brincar de esconder a lua dos enamorados, zoar com as cortinas atrás das janelas abertas, bulir com os cabelos demoradamente penteados! quem mais pode? quero ser força motriz, vencer paredões, ganhar o mar, fazer furacões... e depois? descansar nas pradarias, banhar-me nas dunas da praia, descongelar blocos de gelo, tilintar os sete sinos... rir da imortalidade, celebrar a impermanência, reinar sobre mim mesmo e ainda assim seguir por todos enamorado... (guilherme fraenkel) foto de Maggie Cellux em freeimages.com

Verdejar a alma

Submitted by gfraenkel on Tue, 12/06/2018 - 08:55
Verdejar a alma (12/06/2018) Eram verdes os ventos. Brincavam nos cabelos dela; sussurravam poesia ao pé do ouvido. Crescidos; deram frutos, alimentaram sorrisos, plantaram felicidade. Feliz idade aquele átimo vivido! Eternidade contida no sopro de um céu azul... (Guilherme Fraenkel)

Matemática divina

Submitted by gfraenkel on Wed, 11/07/2018 - 08:44
Matemática divina (11/07/2018) Linhas suaves e curvas inspiram; Ângulos agudos instigam; Mudanças graves instilam; Evos da geometria divina... Pontos declaram começos; Segmentos sequenciam recessos; Retas revelam progressos. Mistérios da continuidade da vida... Retas se curvam; detalhes se perdem; O todo floresce. Simplesmente cresço. Enriquecer; Crescer; Transcender. Material evanescer; Espiritual intumescer. Divino aquiescer! (Guilherme Fraenkel) foto de Zsuzsa N.K. em freeimages.com

Amanhece

Submitted by gfraenkel on Tue, 03/07/2018 - 08:38
Amanhece (03/07/2018) amanhece sob o olmeiro; os primeiros raios de sol penetram pelas folhas; dourado espetáculo sobre o verde abrigo... dissolve o ar gelado da madrugada. consome o frescor do chão orvalhado. passantes refazem suas andanças... mercê da vida gigante que convida a mais um instante. celebra a vida em dourados tons de verde e marrom. abraça em tons de azul e branco ilumina em translúcidas luzes vigor da vida que flui cíclica. sem jamais cansar, reaviva-se toda manhã. encanto do poeta que nada via; descoberta de alma infante que soluça ante o espetáculo. gigantes adormecidos despertam. pequeninos labutam a vida flui. (guilherme fraenkel) foto robi hammerle em freeimages.com